Novo Tratamento para Microcefalia

A microcefalia é uma condição bastante rara, que afeta o tamanho da cabeça e acaba também alterando o tamanho do cérebro do bebê, que acabam não correspondendo ao que se espera para a sua idade e sexo especificamente.

Ela de modo geral é diagnosticada logo que a criança nasce, e em alguns casos antes mesmo da gravidez terminar. De modo geral, a sua principal causa está no fato de que o cérebro do bebê não cresce tudo que precisa durante a gestação e nem depois do seu nascimento.

De modo geral toda a criança que nasce com essa condição vai ter problemas no seu desenvolvimento, seja de que ordem for. A cura não existe ainda e tudo que se pode fazer são tratamentos para dar mais qualidade de vida a esses pequenos e às suas famílias. A seguir falaremos desse mal, que acabou se popularizando no país depois do surto de Zika de 2015! Confira!

SINTOMAS

Os sintomas da microcefalia costumam ter mais relação com a estética da criança do que com o que ela mesma sente. De modo geral, tudo que se percebe em um bebê com essa condição é que a sua cabeça é muito menor do que deveria ser, e a consequência disso é que seu cérebro também está bastante afetado.

Com o tempo percebe-se que essa criança não vai apresentar o desenvolvimento esperado. Não vai sentar, engatinhar, andar ou falar da forma como os outros bebês fazem, e muito menos se não houver a estimulação correta para que isso aconteça.

No mais, não existe nada que diferencie um bebê com microcefalia de qualquer outro, então é importante ter essa compreensão, para não esperar outros sintomas específicos, que não aparecerão!

CAUSAS

O que causa a microcefalia é o fato de que o cérebro do bebê não cresce tanto quanto deveria no útero materno, ou ainda ao longo da infância. Ela pode ser genética e existem uma série de possíveis justificativas para o seu aparecimento. Entre as principais estão…

  • Uma má formação no sistema nervoso central do bebê;
  • Uma falta de oxigênio no cérebro do bebê, que pode acontecer devido a complicações gestação e até mesmo no seu parto;
  • Uma exposição da mãe a drogas e álcool durante a gestação do bebê;
  • Uma desnutrição grave da mãe durante a gestação do bebê;
  • O surgimento da rubéola congênita durante a gravidez;
  • A toxoplasmose congênita, também na gravidez;
  • A infecção congênita por algum citomegalovírus;

Doenças genéticas que o bebê venha a ter podem também causar a microcefalia, e já se conhece algumas dessas doenças, que poderiam vir a ser…

  • A síndrome de Down;
  • A síndrome Cri du chat;
  • A síndrome de Cornelia de Lange;
  • A síndrome de Seckel;
  • A síndrome de Edwards;

Nos últimos dois anos um surto de Zika tomou o país, e com ele muitos bebês passaram a ter microcefalia. O Ministério da Saúde confirmou ainda em 2015 que havia relação entre os casos, e que era importante que as grávidas fizessem todo o possível para evitar picadas de mosquitos como o Aedes aegypti, que é transmissor da Dengue, da Chikungunya e agora também da Zika!

TRATAMENTO

Não existe nenhum remédio que se possa tomar para combater a microcefalia e fazer com que a cabeça do bebê fique do tamanho que deveria, e isso é uma pena, mas é a realidade.

O que pode sim ser feito é buscar tratamentos e terapias para desenvolver a criança o máximo que for possível. Terapias ocupacionais e fisioterapias são as opções mais comuns, mas se você tem um bebê com microcefalia busque todas as opções viáveis para que ele tenha mais qualidade de vida!

Quantas Estrelas Vale Este Artigo?

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)

Loading...

Está página foi lhe útil? Por Gentileza Compartilhe. É muito importante para nós!